Flaunt conversou com o ator Daniel Sharman para discutir seu novo projeto, suas habilidades especiais e as origens de sua carreira. Confira a matéria completa traduzida e o ensaio fotográfico:

Desde seus primeiros dias em Teen Wolf até seu papel mais recente em Cursed, Daniel Sharman personificou cada criatura sobrenatural que alguém poderia imaginar. No entanto, seus dias de fantasia podem ter acabado, pois agora ele está se concentrando em se conectar com seu eu interior e avaliar o que é importante, bem como redescobrir seu amor pela atuação.

Como qualquer outro ser humano, a quarentena e a folga levaram Daniel a questionar o que ele estava fazendo.

“Escolhi fazer este trabalho quando tinha 12 anos e, você sabe, é realmente quem eu quero ser?” Sharman pondera: “Eu realmente amo isso? Eu sou bom nisso? Este é realmente o caminho que eu quero seguir? ”

Entrevistador: Como você tem passado esses dias loucos?

Daniel: Bem, atualmente estou no meio de Montana. Estou gravando um filme aqui, por isso foi bom sair e estar longe.

Você pode compartilhar algo sobre o filme?

Não posso dizer agora, mas é muito bom. É um ótimo roteiro. É o que sempre quis fazer em um filme.

Você tem feito principalmente séries de TV nos últimos anos, qual é a diferença em fazer um filme de novo?

No ano passado, com as filmagens de Cursed, houve muita espera com todas as coisas que estão acontecendo em uma produção massiva como essa, e às vezes é muito frustrante. O que é adorável sobre isso é que é um filme muito pequeno e você consegue realmente trabalhar e apreciar a arte dele, e desfrutar do trabalho porque o filme inteiro está lá. Na verdade, tem sido uma coisa muito boa de se fazer.

Falando em Cursed, como foi filmar isso? Como foi trabalhar com Frank Miller nisso?

Foi ótimo. Eu acho que foi uma ótima experiência conhecer Frank e trabalhar com grandes atores. E eu tive que voltar para casa, tive que voltar para a Inglaterra por um tempo, então essa foi a melhor parte: poder ver minha família e me reconectar com a Inglaterra de uma forma que não fazia há anos. E então, é claro, eu voltei e disse ‘tudo bem, certo, trabalho’ e então a quarentena começou, então é bom voltar ao trabalho mais rápido do que eu pensei que estaria.

Como foi ficar em quarentena longe de sua família?

Bem, ouça, eu me tornei um bom homem extremamente renascentista. Você sabe, eu tenho uma horta, comecei a andar de bicicleta. Como tenho certeza de que muitas pessoas fizeram o mesmo, eu comecei a praticar atividades físicas sozinho e esportes. Comecei a fazer palavras cruzadas. Acho que comecei a me tornar um homem velho, na verdade. Contar piadas para o pai poderá ser meu próximo passo.

Como você começou a atuar?

Tudo bem, comecei a atuar porque alguém veio à minha escola e disse ‘alguma criança quer vir e fazer um teste para esta peça para a companhia de Shakespeare’, e eu entrei, comecei e trabalhei no teatro por um tempo. Eu basicamente escolhi isso aos 11 ou 12 anos, para trabalhar nisso, e então fui para a escola de teatro em vez da universidade. E, naquele ponto, eu estava ferrado porque eu estava dentro. Então, deixei a escola de teatro e basicamente tentei aprender como fazer o trabalho e como trabalhar nesta indústria.

E por um tempo pensei que não queria mais fazer esse trabalho. Escolhi este trabalho quando tinha 12 anos e, sabe, é realmente quem eu quero ser? E pensei muito nisso, principalmente no ano passado, com a folga. Eu realmente amo isso? Eu sou bom nisso? É realmente este o caminho que desejo seguir? E é muito bom voltar ao trabalho e perceber que realmente amo isso. É uma coisa especial poder trabalhar com pessoas, especialmente quando você acredita no projeto, e você o ama, e quer que seja bom, e a energia que acontece é grande e há orgulho nisso. É muito bom, para ser honesto, sentir como ‘ah, porra, estou animado para trabalhar’.

Você participou de tantas séries de TV conhecidas, o que aprendeu com elas?

Tive muita sorte em poder trabalhar e meio que crescer ao longo do caminho, com muitos programas para adolescentes. Como programas muito fantásticos. Acho, extensivamente, porque estava tentando aprender como ser uma pessoa real ao longo do caminho. Quando eu era jovem e comecei a trabalhar, não sabia realmente quem eu era e ainda estou descobrindo. Ainda descobrindo o que é atuar, o que é se comprometer com algo, como é trabalhar em algo. Portanto, tenho muita sorte, porque vagando por aí por um longo tempo e não trabalhei muito, e ainda assim consegui trabalhar em coisas que são bastante amadas por certas pessoas. Parece que roubei um pouco a vida. Sempre admirei as pessoas que realmente se empenham e sinto que, nos últimos dois anos, mudei a forma como quero trabalhar e o que me entusiasma. Eu tenho um pouco de sorte que alguém me contratou porque eu tenho sido um completo bastardo, de verdade, e eu sinto que meio que escapei com isso.

A maioria das séries em que você esteve está no campo da ficção científica e fantasia. Agora que você redefiniu sua carreira, ainda gostaria de fazer fantasia?

Não, acho que acabei com isso. Quer dizer, você nunca sabe! Pode vir algo que seja realmente confortável, ótimo e funcione, ou se eu nunca conseguir um emprego, talvez terei de recorrer a isso e fazê-lo. Você tem que pagar as contas. Mas acho que é um reflexo de talvez onde eu estava. Acho que em parte, enquanto estou envelhecendo, há outras coisas em que acredito, ou que quero fazer, ou quero retratar. Quer dizer, nunca diga nunca, mas esse novo projeto, em que acredito muito, é o que eu adoraria fazer nos próximos anos.

Nos conte algo sobre você que a maioria das pessoas não sabe?

Uma das coisas que as pessoas não sabem é que conheço todas as capitais do mundo. É uma habilidade muito estranha, mas tenho uma memória fotográfica muito específica, mas ela só se relaciona realmente com mapas e capitais. Isso é algo que, estúpido ou não, eu conheço todas as capitais que existem. Apenas uma coisinha estranha.

Isso não ajuda muito na aprendizagem de scripts…

Não, eu gostaria de dizer que sim. Na verdade, gostaria que fosse mais útil do que é. É bom para noites de trivia e quizzes de pub, mas apenas nisso.

Inicio > Sessão de Fotos > 2020 > FLAUNT – Jonny Marlow

ENGLISH VERSION

Fotografado por: Jonny Marlow
Estilista: Adam Ballheim
Assistente do Estilista: Elisa Panik
Cabelo: Candice Birns
Fonte: FLAUNT
Tradução & Adaptação: Angélica Luiza