A revista TV Insider conversou com Frank Spotnitz para descobrir tudo o que você precisa saber sobre o destino final da série Medici: The Magnificent. O drama-histórico da Netflix, traz o poderoso líder de Florença, Lorenzo De’ Medici (Daniel Sharman), o qual carrega um peso em sua consciência e sangue em suas mãos após ter causado indiretamente a morte do seu amado irmão Giuliano (Bradley James), durante a Conspiração dos Pazzi, em 1478. Agora estamos a ver “um homem muito diferente“, diz Spotnitz, produtor executivo e roteirista da série.

E: Quando decidiu escrever o roteiro, você sabia que esta seria a última temporada?

Frank: Sim, o time inteiro sabia. Na verdade, sabíamos que seria o fim da história de Lorenzo. Mas com certeza, há personagens incríveis que poderíamos tirar proveito para a continuação da série Medici, como Catherine De’ Medici.”

E: Já que havia um final definido, houve alterações no enredo da temporada?

F: Contratamos James Dormer, um roteirista incrível, que conheci na primeira vez em que fui ao Reino Unido, no set do seriado Strike Back. Para ser sincero, no começo pensamos “E agora? O que vamos fazer?”, porque a Conspiração dos Pazzi (final da segunda temporada) foi a parte mais emocionante e dramática que existia, e logo ficamos sem saber como conduzir o caminho que a série deveria percorrer.

Mas acabou que a falta de um enredo se tornou uma bênção em nossas vidas. Então, decidimos cavar a fundo a história dos personagens e assim poderíamos descobrir a importância da existência de cada um deles. É isso que será explorado na 3ª temporada. Para mim, uma coisa é certa: esta é a temporada mais poderosa e emocionante, simplesmente pelo fato de não haver um foco no enredo.
Na 2ª temporada, Lorenzo era um homem idealista, que queria fazer o bem para ser alguém considerado bondoso. Porém essa inocência acabou de forma desastrosa já que ele viu o sangue de seu irmão derramado, literalmente em suas mãos, fazendo com que ele carregasse uma culpa enorme. Mas na 3ª temporada, ele é um homem muito diferente que está determinado a resolver as coisas com suas próprias mãos, assim, procurando por vingança. Ele se revolta contra Deus, o que no século XV era um absurdo. Agora, Lorenzo também tem o desejo reajustar o mundo, diante suas próprias regras e concepções. Então, eu acho que é certamente a jornada mais poderosa.

E: Veremos o quanto a morte do seu irmão o impediu de seguir em frente?

F: Com certeza. Ele amava o irmão, ele era muito próximo do irmão, o qual era não muito fã de política, e ironicamente, morreu por causa da política prezada por Lorenzo. Historicamente, esse capítulo em que o Papa autoriza a morte de Lorenzo e Giuliano De’ Medici, é certamente verdadeiro. Lorenzo, então, queria que o Papa admitisse, mas o Papa simplesmente não o faz.
Todos os episódios, em certos pontos, se encontram muito próximos do que aconteceu na realidade. Como por exemplo, a paz pela qual Lorenzo prezava, além de desejar ser coroado e governar a Europa, mas o Papa simplesmente não queria dar esse gosto a Lorenzo, o que faz com que se inicie um conflito fascinante entre os dois.”

E: Então, felizmente teremos flashbacks com Bradley, assim ele não fica de fora da série, por completo. Ele e o Daniel têm uma ótima química!

F: Sim! Os flashbacks fazem parte de nossas histórias desde a primeira temporada, quando tínhamos um elenco diferente com Richard Madden e Dustin Hoffman. Sempre tentamos descobrir em cada temporada como usar flashbacks de uma maneira interessante, e essa foi uma maneira de trazer Bradley [James] de volta. Quando se vê Bradley, é quase impossível não se comover, pois conseguimos sentir a dor de Lorenzo pela sua perda.”


E: Nós tomamos conhecimento do Leonardo da Vinci no segundo episódio, o que foi muito legal. Sabemos também que você está produzindo a série Leonardo, e queríamos saber se o ator que vimos em Medici é o mesmo que veremos em Leonardo.

F: Não. Eu escrevi esta temporada antes mesmo de saber que estaria a escrever Leonardo. O Leonardo que vemos em Medici é muito diferente em relação ao que veremos na série Leonardo. Então, é uma forma diferente de observar Leonardo, pois em Medici, ele é um gênio admirado por Lorenzo, o qual o convida para guiar apenas propósitos políticos. Na série Leonardo, os Medici nem sequer aparecem como personagens.

E: De fato, é de se impressionar o quão longe Daniel Sharman chegou, desde Teen Wolf até sua trajetória atual. Ele realmente tem um potencial maior em como interpreta Lorenzo.

F: Eu concordo. Na primeira temporada, todos os atores atuaram de maneira muito jovial, e esse era o propósito. E eles foram muito longe nessa temporada, porque foram postos a atuar de maneira mais madura, mais velha, pois estariam vivendo seus últimos anos de vida. E conseguiram ser mais velhos, eles parecem mais velhos. Tanto Daniel Sharman como Synnove Karlsen, que atua como a esposa de Lorenzo, Clarice. Eles amadureceram muito em tão pouco tempo. Daniel simplesmente pôs toda sua alma nisso. Synnove é tão jovem, mas ela interpreta perfeitamente uma mãe para os meninos, que são apenas alguns anos mais novos que ela.
Sinceramente, eles me lembram de Gillian Anderson na época dos X-Files, porque Gillian era incrivelmente jovem, apenas ela tinha aquele equilíbrio e inteligência. Acho que ela, simplesmente, fez um trabalho incrível.

Entrevista: Jim Halterman
Tradução & Adaptação: João Lucas
Fonte: TV Insider