Magnífico eu? Sim, mas apenas no futebol. – Daniel Sharman

Britânico mora em Los Angeles, mas na Toscana ele deixou um pedaço de seu coração. Daniel Sharman é a estrela da série de TV “I Medici“, co-produzida por Lux Vide com Rai Fiction, Big Light Productions e Altice Group. O ator londrino se juntou ao elenco na segunda temporada no papel de Lorenzo De’ Medici, e o encontramos agora na terceira, que tem a legenda “Em nome da família”, transmitida a partir de 2 de dezembro em Raiuno por quatro primeiras noites. Confira entrevista completa com Daniel para a revista:

Inicio > Séries > Medici: The Magnificent (2018/?) > 3º Temporada > Revista/Magazine > TV SORRISI E CANZONI

 

Sr. Sharman, antecipe-nos algo. Que novos desafios “o seu” Lorenzo De’ Medici enfrentará?

A segunda temporada terminou com a conspiração dos Pazzi, na qual Giuliano, irmão de Lorenzo, foi assassinado na catedral de Santa Maria del Fiore. Agora a história continua com Lorenzo, que está disposto a fazer qualquer coisa para proteger sua família dos inimigos. Ele viverá um período de crescimento e prosperidade, estará mais maduro, com a dor de idade. Você verá como ele constrói seu relacionamento com sua esposa Clarice e seus filhos. A terceira temporada descreve a ascensão e queda de uma figura histórica para Florença, um homem sábio, um mito.

Você gostaria de ser um pouco como Lorenzo?

Quem não gostaria de ter seu poder, sua cultura? Mas também é verdade que, ao interpretá-lo, eu me concentrei principalmente nos aspectos mais humanos.Eu estava interessado em sua ambição.Eu queria deixar claro que, à luz da glória, sempre existe um lado sombrio. De Lorenzo eu aprecio especialmente o patrocínio, o fato de ele enfatizar os artistas de rua que deram tantas obras de arte ao mundo. Eu também pinto pinturas a óleo no meu pequeno quarto.

Em que estilo?

Renascimento! Eu amo Botticelli e, quando criança, copio o David de Michelangelo de um livro em meus desenhos.

Você começou a atuar aos 9 anos na Royal Shakespeare Company: na época você já estava preparado para o Renascimento?

Não, além da arte, eu não sabia muito. Eu tive que estudar para o papel, passei várias semanas sozinho na Toscana com um bom guia, fui com alguns professores universitários em Florença e li uma biografia de Lorenzo De’ Medici de centenas de páginas durante uma viagem a Uganda.

De todos os lugares onde você filmou “I Medici”, qual deles você mais gostou?

Volterra. Lá, os Medici, por uma razão histórica, tinham uma má reputação, uma vez que a dominação Fiorentina era sentida e era muito urgente. Mas encontrei muito carinho, pessoas muito generosas e paisagens esplêndidas. Eu nunca vou esquecer isso.

Entre uma coisa e outra, você visitou nosso país por dois anos? Você aprendeu um pouco de italiano?

Meu italiano é terrível. Mas você sempre consegue entender, mesmo que eu fale apenas por gestos: é algo que eu amo nos italianos.

Além de atuar, no que mais você é “Magnífico” como Lorenzo?

Eu me saio bem o suficiente para jogar futebol. E eu sou um grande fã do Arsenal. Também pratico esqui e esportes de inverno. Ultimamente, por motivos de trabalho, aprendi a andar discretamente a cavalo e a puxar a espada, como vimos na ficção.

Eles podem ser úteis?

Andar a cavalo fora do set eu não me importaria. Mas a chance de puxar a espada no século XXI é algo raro (risos).

E seus gostos musicais?

Eu gosto de pop italiano. Eu tenho uma coleção de discos de Luzio Dalla, eu adoro isso. E eu ouço Laura Pausini.

O que você assiste na TV?

Especialmente séries. Eu fiquei louco por “The Young Pope”, ficou muito bom. Paolo Sorrentino é um gênio.

As meninas se apaixonam por você. Mesmo os muito jovens, fãs de lobisomens e super-heróis, que o viram na série “Teen Wolf” e no filme “Immortals”. Podemos dar-lhes esperança? Você está solteiro?

No amor e na vida privada, eu preferiria manter o mistério…

A propósito, agora há outro papel “misterioso” que espera por você.

Sim, serei o “Weeping Monk”, o monge chorão de “Cursed”, uma produção da Netflix baseada em um romance ilustrado por Frank Miller e escrito por Tom Wheeler, que juntos criaram a série. A história está ligada ao ciclo da lenda do rei Arthur e conta sobre uma garota que se tornará a Dama do Lago. Ela tem traços muito sombrios, um trabalho muito interessante. Será lançado entre maio e junho do próximo ano e tenho certeza que vocês vão gostar.

Fonte: TV Sorrisi e Canzoni (magazine)
Tradução & Adaptação: Equipe DSN