Nesta terça-feira (10) foi ao ar o quarto episódio do podcast “2 Lads” de Daniel Sharman e Leggy Langdon. Confira a tradução completa do episódio “TÉRMINOS” e escute a conversa entre esses dois caras:

Os 2 Caras (LADS) sabem muito bem que separações costumam ser dolorosas, mas apresentam oportunidades de crescimento. Neste episódio, Leggy discute uma separação particularmente traumática e Daniel fala sobre sua experiência em um programa de 12 etapas para sexo e amor. Eles também explicam como podemos usar a dor como um roteiro para a cura; e como precisamos determinar nossos “termos” para aparecer melhor nos relacionamentos. Como diz Leggy, “os rompimentos oferecem uma janela de oportunidade para refletir sobre o que deu errado e usar isso para crescer e entrar em relacionamentos mais saudáveis ​​no futuro”.

 

Daniel: Olá. Bem-vindo ao “The 2 Lads Podcast” de Daniel Sharman e “Leggy” Langdon nova intervenção no estilo de vida “2 Lads”. Nós somos dois homens nesse mundo tentando encontrar nosso caminho. Tentando entender porque somos do jeito que somos. E como podemos nós aceitar a si mesmo e a nós amar. Vivemos em um mundo onde estamos em constantes mudanças, faça uma pausa de 30 minutos e venha escutar o 2 LADS, uma conversa profunda e vulnerável vai acontecer.

Leggy: Eu acho que toda vez que a gente passa por um termino, algo não funcionou. Nós nos colocamos em situação que acabou, certo?

Tem uma oportunidade, um vasto campo de oportunidades para aquele momento do termino aonde você tem que fazer uma reflexão, ok. Se você não se sente consciente disso, provavelmente pode perder a lição.

Daniel: E eu acho que pra todo mundo é o momento de: ‘’Você precisa ir para outro relacionamento e tenta evitar isso a qualquer lugar que você vá’’, porque algo está errado.

Sim, a sua situação foi a mais brutal versão que apresentamos de ter levado um “perdido” = Ghosting* (Ghosting é quando alguém que costumava ser amigável ou até romântico com você de repente corta toda a comunicação sem explicação.).

Você tem passado por uma versão que não tem um senso de humanidade.

Leggy: Eu não sabia o que fazer, eu não podia respirar e eu não podia fazer nada porque eu tinha pesadelos o tempo todo. Não fazia sentido pra mim, eu estava em choque. Eu não podia entender que eu não teria mais acesso a ela.

Oi, aqui é o Christian Leggy Langdon.

Daniel: Olá a todos aqui é o Daniel Sharman. E esse é o 2 Lads Podcast.

Leggy: Hoje o episódio é sobre ‘’Términos’’.

Daniel e eu refletimos sobre nossos dois recentes términos que passamos e como eles nos aproximaram tão perto um do outro, mas também comprometeu nosso próprio amadurecimento e de uma maneira o crescimento positivo.

Nós também tocamos nas partes em que em que levamos um “perdido” (Ghosting) e o que fazemos quando nos encontramos nos primeiros estágios de terminos. E vamos mapear um coração partido. Isso é o que nós iremos fazer. Vamos nessa!

Então nos estamos falando sobre términos.

Daniel: Sobre términos e vamos terminar.

Os términos causam uma grande junção de coisas de trabalho sobre si mesmo.

Leggy: Sim.

Daniel: Foi a visão que eu e você concluímos de parceiros…

Leggy: Sim.

Daniel: E essa foi a razão pelo qual estamos aqui, nessa mesma jornada e tentando empurrar recursos ao longo do caminho para ajudar a gente a sair dessa situação que nós não entendemos e não temos nenhuma referência para isso.

Então para mim términos é muito importante colocar nisso porque é a razão pela qual eu comecei a ir a fundo e olhar para as coisas porque eu tive muitos términos antes e eu acho que você teve, sabe? Você teve o casamento acabado, mas não tem um termino na sua vida que você não pode evitar a dor.

Leggy: Sim.

Daniel: E eu acho que pra todo mundo é o momento que você precisa ir: ‘’se recompor e ir pra outro relacionamento’’ e evitar esse sentimento ou você se dar conta que tem algo errado, algo esta pesado na linha de chegada.

Leggy: Sim.

Daniel: E para mim esse processo é mais doloroso que eu posso imaginar e requer muito apoio que eu não poderia imaginar que precisaria e me deixa em uma jornada que eu não tinha ideia que eu iria querer.

Leggy: Sim e essa é a boa notícia!

Daniel: E essa é a boa versão!

Leggy: Sim, eu quero dizer que ultimamente o termino é o momento em que na noite, é o tipo de momento que tem uma oportunidade de realização. Eu acho que é assim que eu encarei essa versão explosiva do termino.

Eu acho que toda vez que vamos para um termino quer dizer que algo não funcionou. Nós nos colocamos em situação que acabou, certo? E tem uma janela de oportunidades naquele momento para términos aonde você tem que refletir, ok?

Agora, se você não está consciente de nada disso, você potencialmente pode perder essa lição, certo?

Daniel: E isso quer dizer?

Leggy: O significado é que o termino está acabando e você não quer sentir a tristeza…

Daniel: A dor…

Leggy: A dor dessa experiência que está ocorrendo e então o meio responsável que você não se dá conta que não tem uma lição ali…uma sugestão de que podemos ir para a dor o mais rápido possível, certo?

Indo direto para uma nova relação e indo para o açoite, indo para beber com seus amigos, ou qualquer coisa. De alguma forma você está se distraindo de si mesmo da dor desse momento.

Daniel: Sim e também para retornar e não é só esse termino. É algo desencadeado, para mim que é sobre como lidar com términos de anos atrás sabe?

Leggy: Sim.

Daniel: Você não pode evitar ter uma infância traumática, não importa quão boa sua infância foi e términos podem bater em um botão que te causa uma dor insana.

Leggy: Sim.

Daniel: E ir de volta para aquele trabalho e pensar: ‘’essa pessoa representa algo da minha mãe’’, o que é a minha visão desse termino e eu estava tipo: ‘’essa pessoa me representou instabilidade’’ e para mim vir com esse vicio de que a mulher veio sozinha e ela representou algo como ordem para mim…

Leggy: Sim.

Daniel: E ela tinha muito das características da minha mãe e o que a versão desse termino uma visão que me representou nesse termino é que essa pessoa representou a estabilidade em mim e sair desse vicio, essa mulher representou algo,uma ordem de mim, ela tinha muitas características da minha mãe e ela tinha muito amor-próprio  muita frieza e esse gatilho que foi rejeitado. A causa da rejeição me fez ficar totalmente em desacordo porque eu nunca me dei conta que a minha relação comigo mesmo foi baseado na aprovação de uma mulher assim.

Leggy: Sim. Ela era a parte da bondade… ela validou a bondade em você ou?

Daniel: Ela estava segura. Ela me fez sentir como se eu tivesse que provar para a minha mãe, ela estava ganhando através da sua frieza, com a dificuldade da pessoa. Se eu pudesse fazer isso, então eu poderia consertar uma relação com a minha mãe que acabou sendo não definido por um longo tempo.

Leggy: Então passamos pelos términos, esse particularmente pra você foi o seu catalisador, certo?

Um minuto, isso está me levando em uma nova fase da minha vida para refletir todas essas coisas certas?

Daniel: Sim.

Leggy: Ter que trabalhar por conta própria. Ajudando você mesmo. Recalibrando você mesmo.

Daniel: Certo.

Leggy: E é genuinamente nesses momentos de dor aonde podemos achar a lição.

Daniel: Certo.

Leggy: Então, se você já aprendeu a lição, você passa por isso de novo basicamente.

Daniel: Sim, você passa… por alguém similar, sabe? Ou você tenta voltar para um relacionamento porque você acha que o ciclo não ativa isso. Mas você ainda tem que ativar alguma coisa.

Leggy: Sempre eles.

Daniel: Sempre eles.

Leggy: Sim.

Daniel: Mas não tem nada a ver com ela…

Leggy: Certo, mas a gente fica ‘’Ah merda, eu preciso ir para uma namorada diferente’’.

Daniel: Sim

Leggy: E então, tudo ficara bem.

Daniel: Certo, certo.

Leggy: Esse é o problema, não sou eu.

Daniel: Sim.

Leggy: Sabe? Então é por isso que você precisa estar consciente de você mesmo, certo? Porque você vai continuar fazendo e apenas pensando ‘’só muda o externo’’, ‘’se eu mudar o externo, não será aprovado’’ e acho que toda vez que chegamos nisso em um relacionamento, sentimos que tem um pouco de se você não fez nenhum trabalho e você apenas termina indo para outra namorada bem rápido.

Daniel: Sim.

Leggy: E mostra pra você que alguns meses se apaixonando, os livres 3 meses, de dia e de noite, um teste grátis.

Daniel: Teste grátis e você vai para a sua melhor visão.

Leggy: Sim.

Daniel: Para a melhor visão romântica de alguém.

Leggy: E sempre vem cheio de elogios, todas as peças faltando de uma explosão.

Daniel: Sempre.

Leggy: O que nós estamos procurando que sumiu do outro. Mostra o topo de frente…

Daniel: Sim.

Leggy: E o novo por trás disso tudo, tem a bagunça que você estava dentro.

Daniel: Sim.

Leggy: E nós todos estamos nesse espaço, nós todos somos o resultado desse vicio ter crescido que nos governa inconscientemente nas nossas escolhas e porque a vida continua porque nos constantemente…estamos vendo aonde nosso lugar está, os gatilhos, o que nos escolhemos, qual  pessoas nós escolhemos, sabe? Se a gente não fazer nenhuma dessas analises, você está apenas vivendo a sua vida.

Daniel: Ganhando uma reação.

Leggy: E basicamente ‘’mostra o brilho do novo e eu vou pegar isso, me faz sentir bem’’.

E me faz não sentir essa dor ‘’e quem é o fodido que quer sentir essa dor?’’ e eu fico vendo até aonde isso vai. Porque ela é gostosa e me faz me sentir bem, ou ela é maternal e me faz sentir segura ou o que seja que ela está fazendo por você. Eu acho que a boa noticia é que quanto mais você ignora a lição, maior vai ficando a dor. Toda vez que você passar por isso. Certo?

Daniel: Sim.

Leggy: Essa é a minha experiência e antes que você chega no tesouro, você vai ter que ir apenas e pegar, pessoal.

Daniel: Você não pode negar por muito tempo.

Leggy: Sim.

Daniel: Porque eu acho que indo direto para o seu ponto, eu fui para relacionamentos que foi pra baixo porque eu achei que era a pessoa certa. E eu nunca me perguntei: ‘’por que eu sou atraído pelas coisas que eu sou atraído?’’

Leggy: Sim.

Daniel: Eu nunca me perguntei isso e eu nunca pensei em fazer: ‘’Que qualidade eu consigo buscar?’’ e ‘’por que há um gatilho em mim nisso?’’

Leggy: Sim

Daniel: E isso que começa todo o processo.

Eu valorizo as coisas que na verdade não são boas para mim.

Leggy: Sim. E olha isso pode soar um pouco irritante mas ‘’se você consegue a mulher, se você é um cara persegue que seja atraente, ou qualquer que seja o nível ou físico, ou tem um bom trabalho, seja o que for’’ Você tem que ser bom para manter, sabe?

Eu falei com mulheres, então você não tem um problema para ficar com uma mulher, isso não é um problema, isso é criado por outro problema, certo? Isso é outro tipo de problema que alguém que não é bom com mulheres, certo? Eu estou apenas dizendo no contexto de homem, porque é isso que eu tenho feito na minha vida. Então se algo difícil para você ter, o seu problema pode ser um pouco similar diferente, nos termos de que se você não tem um monte de escolhas…

Daniel: Você não está escolhendo, você apenas está indo tipo ‘’Ok…’’

Leggy: Sim, você está fazendo algo que você pode ficar e você tem que lidar com isso de um jeito diferente mas de um jeito você pode pular de mulher para mulher ou apenas fica com uma e você pode pensar que você pode algo melhor, nesse caminho tem um problema, certo? Porque você ainda não está sendo claro de quem você é, porque você está indo nesse relacionamento e porque você está escolhendo essa pessoa nesse momento, nesse tempo, é tão difícil de ver no momento, é bizarro que…

Daniel: Não vemos essa região selvagem e sabe eu penso que eu mesmo sou um humano aéreo ainda. Minha visão disso é que quando eu passo por um termino, eu quero entrar em dois tópicos, sexo e amor e isso foi obrigatório quando você interpretou o lapso, se eu não tivesse exigido, acho que não iria realmente olhar isso.

Leggy: Sim.

Daniel: O padrão e o quanto de dor que eu estivesse passando se eu não fosse alguma sombra, de alguma forma procurando a provação das mulheres.

Leggy: Eu ia para algo estagnado.

Daniel: Eu ia para a próxima coisa ou aceitaria um conselho ou escolha, sabe? De volta para o cavalo e encontrar alguém, sabe?

Leggy: Sim.

Daniel: Ir para um…

Leggy: Filosofo.

Daniel: Sim ir para isso ou qualquer coisa que tivesse. E eu estaria estagnado em um monte de dor que eu estaria passando, eu não conseguiria dormir.

Eu conversei com pessoas que eram muito diferentes para ir a um programa de 12 passos e um bom acordo com eles mesmo que disseram que todas as coisas para sair, sexo e amor é de longe o mais difícil. Porque é o relacionamento que você tem que relacionar de volta com seu relacionamento de orgulho. Está relacionado a como você está no mundo e também é algo de todos os dias.

Leggy: Sim.

Daniel: E é a coisa para você se conectar e algo para você ser aprovado.

Leggy: Sim.

Daniel: E falando pelo amigo que disse ‘’meu pai morreu porque era um alcoólatra, de drogas e ele morreu nos meus braços e não compara a nada de se livrar exceto pelo sexo e amor da minha vida.’’

Leggy: Sim, sim eu posso totalmente relacionar isso sobre todos os vícios, sabe? Na minha vida…

Todos os recursos caros, alguns muitos vícios, mas de novo… isso é tudo sobre dor no final do dia, tudo vem a baixo na sua dor e você entender que a dor é parte do jogo. Sabe? E nós não somos informados disso, eu não. Eu fui informado que não podemos sentir dor, então quando for possível, faça o que puder para sair disso, é possível.

Se você entender que a dor é para ensinar algo, você não sabe o que é, mas apenas sente, certo? E um termino é uma oportunidade perfeita de sentir a dor, porque você está atraído para essa projeção, e todas essas coisas dessa pessoa e essa pessoa externa, e essa pessoa é o que me faz me sentir bem, sabe? É a razão pela qual eu me sinto valido tipo um humano, amor, ser aceito, todos as coisas ficando bem da projeção dessa pessoa, sabe?

Se você é uma pessoa que eu fui, Eu não tenho um senso sólido de identidade. Eu estou tipo indo para fora da linha, ‘’isso é quem eu sou, isso é o que eu acredito, essa é meus valores que eu uso, vamos fazer isso’’. Eu nunca estive em uma relação que eu estava nessa posição.

Daniel: Aquele idiota, sendo um total idiota.

Leggy: Nunca, nunca eu sempre fui ‘’eu preciso de uma namorada, eu preciso de uma namorada’’, se eu não tiver  eu quero uma mulher, eu preciso de alguém que vá me validar, ela vai me validar como um cara gostoso, atraente

Daniel: O que ela espera…

Leggy: Artístico, você não tem que escolher uma mulher que seja uma musa… tanto faz…ou como você disse uma mulher que seja maternal, segura pra mim, e eu posso contar com ela, e faz com que eu me sinta inteirado dentro do mundo porque eu pego este lar seguro como base, sabe? Você sabe que eu tenho a mãe em casa, então posso ir e fazer minhas coisas, mas no contexto de relacionamentos e rompimentos, certo. Então você… O que tem sido legal muitas vezes é que você, o que posso pensar na versão final é que você escolhe terminar o relacionamento, certo? Então você deixa e na minha situação eu fui deixado.

O podcast 2 Lads está disponível onde você costuma escutar podcasts. Então por favor não se esqueça de se inscrever e de comentar sobre o episódio, nós avalie com 5 estrelas e fale com seus amigos sobre nós ou coisas do tipo, isso nós ajuda muito. Nós agradecemos muito.

Daniel: A sua situação era a versão antiga mais trazida que é basicamente um fantasma de seu relacionamento e então, você pensou em uma versão de tudo, não tinha humanidade para isso.

Leggy: Sim, quero dizer minha versão foi particularmente poética, mas isso tem sido legal para mim em conseguir ver o outro lado, quero dizer, não como um fantasma, você não pode fazer isso… Sabe, veja bem, as pessoas fazem o que elas tem de fazer, certo? Relativamente falando em pedaços agora, eu sinto muita dor às vezes, e isso causou vários traumas para mim, em termos do que a realidade é, a pessoa pode literalmente ir e terminar. Adeus. Não vou falar com todos novamente, sobre essa história, sobre o que aconteceu comigo, sabe. Ela simplesmente não desapareceu, eu recebi um e-mail, era basicamente um paragrafo. Sabe, o relacionamento era mutual não era apenas uma coisa incrível e ela simplesmente me deixou. Mas, dizendo isso, eu ainda estou usando essa moldura com a pessoa, tenho ideias, estou tentando pegar essa pessoa, mesmo que seja para mim, eu ainda estou muito apaixonado por ela e eles se foi, certo. E quando ela se foi, ela disse “Adeus, eu te amo. Não vou falar com você de novo.” Lembro que ela me mandou um e-mail… Ela realmente comentou: “Nunca mais falarei com você”, porque eu nunca mais falei com ela, nunca mais, depois desse email e isso foi há 2 anos. E isso cria uma merda grande e séria porque é fácil criar aquele jogo de culpa e isso é foda, nossa isso é muito foda. Quem faz isso? Psicopata, qualquer coisa que você queira chamar. Aí você pensa, foda-se agora, além disso, ela tinha uma opção de escolha, ela escolhe isso, certo. Para ela isso era como se sentir segura, ou qualquer outra coisa que significaria para ela, só Deus sabe o que acontece, porque eu não falei com ela.

Daniel: Isso é um resultado do seu trabalho em torno disso, porque eu sinto que, a maioria das pessoas reagiria a isso, você sabe, você realmente se agarrou e trabalhou muito em torno do que é responsabilidade, o que é ter um senso universal de bondade, não só quando se aplica a alguém que está te tratando bem, mas quando alguém faz algo tão traumático e ainda se sente no lugar de santo, sabe, esse é o ser humano. Reagir a partir desse local do trauma e da maneira de separar isso, “é tudo sobre mim, para mim, e minha reação a isso é válida.”

Leggy: O que é realmente fácil e suscetível de fazer, quando você passa por esse tipo de dor, certo? É muito compreensível, tipo, “Que merda é essa? Quem faz esse tipo de merda?” e todas essas coisas… Sabe, de alguma forma todas essas coisas são verdade, sabe. E eu também nunca, nunca em hipótese alguma recomendaria, você dar um “perdido” (ghosting) em alguém. Essa coisa de Ghosting* (Ghosting é quando alguém que costumava ser amigável ou até romântico com você de repente corta toda a comunicação sem explicação.), você apenas tira toda a sua contabilidade ou responsabilidade, não consigo nem encontrar a palavra sobre o que eu quero dizer, então, tudo que você fez fica na minha cabeça. Então, tem vários altos e baixos quando se passa por isso, no meu caso, em cair de cabeça nisso e tirar isso pra fora, tipo, e ser assim, não aprender a lição, colocar sobre ela, mas tipo, eu sei o que eu era nesse relacionamento, pelo menos há alguns anos depois. Parte minha foi responsável nisso, eu escolhi uma pessoa que eu pensei que poderia trabalhar nisso juntos, mudar ela e tipo, “Eu vejo algumas coisas que parecem não estar funcionando para você. Me deixe te ajudar”, certo, “ou tentar mudar você.”, eu não estava aceitando ela.

Daniel: Você não estava aceitando ela e também não estava aceitando a si mesmo, e então você entrou com uma bagagem, a qual muitas pessoas costumam fazer, que é, durante um relacionamento você não tem um senso de si mesmo, para aceitar bagagens se você não olhar dessa maneira, você não vai conseguir isso de si mesmo. E eu acho que o que podemos ver é que não tem uma bagagem saudável, porque eventualmente essas coisas são avaliadas e de certo ponto isso fica consistente, na diferença do poder construido ate ai, então, isso acaba quebrando. Mas também quando as pessoas dizem, “você não pode amar outra pessoa se não amar a si mesmo”, que droga isso significa? Eu não consigo entender o que isso significa…

Leggy: Certo, porque não? O que você quer dizer? Eu quero dizer, eu disse que amava aquela pessoa… E em que termos de se você não amar a si mesmo, você não sabe quem você é, se você não entende qual é a sua linha você não estaria seguro. E eu não estava seguro e eu…

Daniel: E eu também não me sentia seguro.

Leggy: Certo. A verdade do matrimônio é que o que eu aprendi é que eu não estava seguro mas isso me intriga porque, eu queria ser visto como um homem veneravelmente seguro. E eu não acreditei em mim mesmo, então, tudo o que você precisa é acreditar em si mesmo, não que precise ser feito, mas eu sei que eu estou bem, esses sinais, e eu também sei que estou mal, certo, eu estou bem com toda essa coisa…

Daniel: Com todo esse cenário.

Leggy: Eu assino como Leggy Langdon, com 100% de certeza.

Daniel: Isso acontece quando alguém entra na sua vida durante esse tempo e você tentou dizer, “sim eu gosto disso, não eu não gosto daquilo”, “você vai ter que mudar”, o que você quer dizer é eu sei o que eu falei. E para você os termos eram, você tinha que visualizar todas essas coisas, e se você conseguia visualizar a coisa toda, e você teria que se comprometer ou estar lá, então ok, mas se não, isso te faz evitar relacionamentos, que eventualmente estão abaixo da linha, fazem criar conflitos ou algo nesse ponto.

Leggy: Sim. Isso é tipo uma experiência para abrir seus olhos, que faz você se aprofundar dessa maneira, você levar um perdido (ghosting) e havia precauções sobre isso, o que significa que você esta realmente sozinho, ninguém esta ali, não tem como você falar com essa pessoa, não há negociação, você quer ter alguém para perguntar se você esta bem, se você esta bem, e isso é ruim, tipo, eu te amo e eu quero apenas ir e fazer minhas coisas agora. Antes não era assim, não tinha um conhecimento de algo, eram 2 anos de sua vida, da minha vida que acabou em um dia, isso é a morte, mas de uma forma estranha, em alguns aspectos, pior do que a morte, porque essa pessoa está optando por ir embora de sua vida. E ela não está nem aí com as precauções disso tudo, porque na cabeça dela isso era a forma dela estar salva. E essa era a visão dela da historia dela que levou a isso, dos traumas dela, da infância dela, dos medos que ela tinha, colocados em mim, porque eu era a representatividade. Eu era o representante do correio das merdas dela. Ela catalisou o feminismo em mim, o que me fez me abrir e me fez abrir a muitas coisas a qual eu estava dormindo, quanto ao casamento, que aconteceu antes disso, e ao mesmo tempo ela apontou todas as coisas aceitas por mim mesmo, por distorce-los, e por dizer, “você deveria fazer isso ou não deveria fazer isso”, se você fizer isso você é um homem mal e eu fiquei tipo “O quê? O que você quer dizer com isso? Eu sou um homem mal?”, eu estava tipo, os dois modos que isso acabou criando para as pessoas os dois estavam aterrorizados. Um deles queria que o outro fosse para o outro lado da rua, quando nós não tínhamos um compromisso sólido, existia muito medo e essas coisas. Terminar era inelegível, sabe. O que eu quero dizer é, eu na verdade não me arrependo porque, sobre o que nos falamos no começo que é, quanto mais dor você obtém, você esta arruinando as chances de aprender a lição, então…

Daniel: É o fundo do poço.

Leggy: Sim, eu não posso pensar em um pior termino.

Daniel: Não. Você pode me dizer, o que você fez nos primeiros meses e semanas depois do que aconteceu? Isso te levou… Quero dizer, eu me lembro, que nós dois estávamos no chão e…

Leggy: Eu estava literalmente no chão.

Daniel: Sim, de verdade.

Leggy: Eu estava deitado no chão em posição fetal. Meu amigo entrou e foi me ajudar, foi literalmente, 5 dias antes do Natal. Eu estava com esperanças de ver ela e ter uma sessão de terapia com ela e todas essas coisas e aí, e na minha cabeça eu estava planejando algumas coisas. Eu também, tentando terminar o termino com ela. Era uma combinação de “eu não posso mais fazer isso com essa pessoa”, sim, eu estava indo embora. E ela foi embora. Então, era uma dualidade de que eu queria ir embora. Mas foi ela que fez isso. E então eu fiquei sem controle.

Daniel: Por conta do abandono e dessas coisas.

Leggy: Sim, e eu também não sabia o que fazer, eu não conseguia dormir, respirar, eu não conseguia fazer mais nada, eu estava tendo pesadelos toda hora, eu não conseguia encontrar um sentido nisso, eu estava em choque. Eu não conseguia entender porque eu não tinha acesso a ela mais. Eu estava conversando com as pessoas que conheciam ela, que eram amigos dela, eu estava validado meu mal comportamento, e pensando como “é desse jeito que ela faria”, eu estava, tipo, isso era absolutamente maluco.

Daniel: Quando isso se tornou sobre não sobre a pessoa mas sobre você? Quando você se deu conta?

Leggy: Pra ser honesto eu estava na terapia, provavelmente por 6 meses, depois de eu começar a ter visões sobre isso, e me dar conta que isso era sobre mim, mesmo com a experiência de estar com ela, de me apaixonar por ela era sobre mim, as canções, as musicas que eu escutei, as musicas que eu ouvia me fazia pensar nela, e eu pensei, “não isso é sobre mim”, meus sentimentos, eu não conseguia nem saber como ela se apaixonou, nem se isso era verdade ou não, isso não importa…

Daniel: É sobre você.

Leggy: Sobre mim. Eu sentia que eu estava apaixonado, mas também sentia que estava sentindo muita dor. Tudo que eu vivi, essa era a minha experiência, o que eu tinha escolhido fazer, inconscientemente escolhi, o que eu escolhi fazer naquele momento da minha vida, naquela época eu estava completamente vulnerável, completamente machucado, sabe o que eu quero dizer? Esse era eu voltado ao matrimônio. É muita coisa.

Daniel: São muitos anos, e sabe o que eu queria dizer sobre relacionamento, não sobre relacionamento, sabe você pode ter um longo relacionamento, criar um relacionamento, por 5 ou 6 meses e isso infelizmente acaba, e tudo isso vem a tona e, eu quero dizer…

Leggy: Você não consegue sair…

Daniel: Você não consegue sair, isso é impossível de superar. E então de repente você é forçado a desenhar ou você escolhe tirar do processo para rasgar a dependência, mas seja o que for, essa dor é diferente de tudo que você nunca conseguiu enfrentar e então eu acho que isso realmente te desperta daquela importante realização de que isso é sobre você. Mas isso te faz se aproximar das pessoas mais loucas.

Leggy: Eu já perdi a merda toda cara mas, o que eu posso dizer, eu estava pensando, “o que eu posso fazer?”, eu preciso começar a fazer alguma coisa. Sabe, então honestamente, você se trata em um novo Hampton, você faz meditação com seu amigo. Eu estava fazendo terapia, eu estava curando minha energia, estava fazendo um…

Daniel: um diário.

Leggy: Um diário, e eu procurei por jornadas, sabe, eu tentei todos esses diferentes modelos, eu tentei acessar a porra toda que estava dentro de mim, e eu estava também fazendo terapia de reparação, com meu antigo terapeuta, eu estava fazendo um guia de meditação para voltar a alguns momentos da minha infância, as quais eu me envergonhava e sobre minha mãe, e reparar aquele momento em que eu levava um tapa no meu rosto dado pela minha mãe, sobre qual ela pensava que o que eu fiz era vergonhoso e bem, eu fiz hipnose também. Eu estava fodido. Era tudo mentalmente, antes da Covid, no primeiro ano, o meu primeiro ano de termino foi um ano antes da Covid, então, foi em 2019, eu estava fazendo essa merda toda.

….

Daniel: Obrigado por escutar este episódio de The 2 Lads Podcast. Essa conversa é contínua e envolve todos nós juntos, então adoraríamos ouvir de você. Nos conte se existe algum tópico sobre o qual gostaria que falássemos e o que acha da conversa até agora.

Leggy: The 2 Lads Podcast está disponível onde quer que escute podcasts, então, por favor, não esqueça de se inscrever para que não perca o próximo episódio. Nos dê uma avaliação de cinco estrelas, e conte para seus amigos sobre nós— tudo isso nos ajuda bastante. Nós somos muito gratos. Mandando muito amor para todos. Até a próxima.

Daniel: Sim, cara (lad).

Leggy: Sim, cara (lad).

 

Acompanhe 2 Lads e o DSN nas redes sociais.

Tradução: Angel Luiza e Júlia Wohlers.